quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Agora é Professora Milene 13569

Sonhos determinam o que nós queremos.Nossas Ações determinam o que nós conquistaremos. Belém nas mãos do povo.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

QUEM É MILENE LAUANDE ?

Professora Milene

Milene Risuenho Lauande, 39 anos,  é paraense de Belém, casada, graduada em Geografia pela Universidade Federal do Pará – UFPA. É especialista em planejamento do desenvolvimento de áreas amazônicas (FIPAM/NAEA/UFPA) e mestra em planejamento do desenvolvimento (PLADES/NAEA/UFPA).
É professora concursada da rede estadual de ensino. Leciona nas Escolas Estaduais D. Pedro I e Francisco da Silva Nunes (Integrado).
Milene é filiada ao Partido dos Trabalhadores desde 2007. Exerce seu primeiro mandato eletivo. Obteve 4.711 nas eleições de 2008, tendo sido naquela eleição a mulher mais votada do PT.
Milene sempre se destacou na luta política. Já aos 16 anos de idade tornou-se Presidente do Grêmio Estudantil da Escola Colégio Hilda Vieira, onde desenvolveu um trabalho sério voltado para a melhoria da qualidade da educação, o que carimbou seu passaporte para se tornar um dos membros da direção da União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas (UMES). Em sua nova função na vida pública, Milene encabeçou a luta pela meia-passagem estudantil, e o resultado desta luta coletiva até hoje beneficia milhares de estudantes da Região Metropolitana de Belém.
Sempre ligada às lutas populares, Milene virou uma liderança da juventude do comitê estadual do Partido Comunista Brasileiro (PCB), também estando à frente do movimento “Fora Collor”. Já no Partido Popular Socialista (PPS), herdeiro direto das tradições políticas do PCB, Milene também teve destacada atuação: foi dirigente nacional e Presidenta do Diretório Municipal de Belém do Partido. Em 2002 disputou sua primeira eleição, obtendo 4.369 votos pra deputada federal.
Acumulou experiências na gestão pública durante o governo Ana Júlia, como Coordenadora dos INFOCENTROS do Programa NAVEGAPARÁ, o maior programa de inclusão digital do Brasil, e também na direção do pioneiro Planejamento Territorial Participativo – PTP.
Seu mandato deu  especial atenção às políticas públicas voltadas às mulheres, à educação, saúde e para a construção de uma cidade mais humana e democrática, menos desigual e mais justa.
O mandato da Professora Milene Lauande cerrou fileiras na oposição aos governos Duciomar Costa e Simão Jatene, por considerá-los governos descompromissados com os reais interesses da maioria da população de Belém.

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Sandra Batista Mulher de coragem, Parabéns Vereadora.

Mandato em movimento: Informativo de Icoaraci.

Estamos disponibilizando online o nosso informativo que reúne as diversas ações no qual estamos envolvidos para melhorar a vida das pessoas da Vila Sorriso.









Mandato em movimento: Sandra Batista promove ações em Icoaraci


Neste fim de semana,  o nosso mandato realizou duas ações no Distrito de Icoaraci. A primeira ocorreu no sábado (19), quando foi feito o lançamento do nosso informativo que reúne as diversas ações no qual estamos envolvidos  para a melhorar a vida das pessoas da Vila Sorriso.

A reunião trouxe diversas lideranças do Distrito e foi uma prestação de contas de nosso mandato, a quem sempre nos apoia.

Eu tenho um compromisso firmado com os moradores de Icoaraci e fico muito feliz de poder estar junto à eles mostrando o trabalho que desenvolvemos. Clique e veja fotos do evento.

No domingo (20) realizamos a 1º etapa do Projeto "Enem para Todos" 2015. Foi a aula de Redação do professor Carlão, que aconteceu na escola municipal Liceu - Icoaraci.

Reunimos cerca de 80 estudantes que estiveram das 9h às 12h acompanhando as dicas para uma redação "nota 1000".

Veja as fotos do aulão.



quarta-feira, 29 de julho de 2015

Veja faz armação contra Lula com delação falsa.


Celso Amorim: Acusar Lula de lobby é um absurdo










"O ex-ministro Celso Amorim, classificou, nesta terça (28), como absurdas as acusações de que o ex-presidente Lula teria cometido lobby; "Isso demonstra a que ponto chegou a politização. Não vamos aqui defender o que é errado, esses escândalos na Petrobras, acho que tudo tem de ser apurado, direitinho. Acho que ninguém deve assumir para si os eventuais erros, delitos cometidos. Agora, acusar um ex-presidente porque ele apoia as empresas brasileiras, isso é um total absurdo. Mas todos, olha, eu nem vou ficar citando nomes, porque se não depois fazem uma ação de calúnia contra mim. Mas é uma coisa absurda. Todos os ex-presidentes apoiam, e mesmo os presidentes no cargo”, disse

Brasil 247

O ex-ministro das Relações Exteriores e da Defesa, Celso Amorim, classificou, nesta terça-feira (28), como absurdas as acusações de que o ex-presidente Lula teria cometido lobby e, portanto, algo condenável do ponto de vista jurídico ou ético, ao defender interesses brasileiros e, também, as empresas, na luta pela construção de acordos bilaterais ou multilaterais.

“Isso é um total absurdo. Isso demonstra a que ponto chegou a politização. Não vamos aqui defender o que é errado, esses escândalos na Petrobrás, acho que tudo tem de ser apurado, direitinho. Acho que ninguém deve assumir para si os eventuais erros, delitos cometidos. Agora, acusar um ex-presidente porque ele apoia as empresas brasileiras, isso é um total absurdo. Mas todos, olha, eu nem vou ficar citando nomes, porque se não depois fazem uma ação de calúnia contra mim. Mas é uma coisa absurda. Todos os ex-presidentes apoiam, e mesmo os presidentes no cargo”, disse Amorim.

“Claro, você não vai apoiar uma empresa brasileira contra outra. Agora, apoiar empresas brasileiras em assuntos que são interesse do Brasil, dentro da legalidade, acho inteiramente cabível . Acho que seria até surpreendente que um presidente ou ex-presidente não fizesse isso. Você está defendendo interesses brasileiros, empregos. Você não está defendendo aquela empresa, o lucro daquela empresa, mas quem trabalha naquela empresa. Então, isso (as acusações) é uma coisa descabida, mostra como as pessoas perderem a noção”, completou.

Trabalhadores unidos

Durante sua palestra, num painel sobre política externa, Celso Amorim afirmara que a classe trabalhadora tem de estar muito unida nesse momento de desaceleração da economia, e ter “muita visão do futuro”. Sobre isso, respondeu: “Eu diria que houve muitas melhorias no Brasil nos últimos anos, especialmente para as pessoas mais pobres. É muito importante que essas conquistas sejam mantidas. É muito importante não perder de vista que o aprofundamento da crise política não interessa à classe trabalhadora. Acho que nós temos de trabalhar pela estabilidade e ao mesmo tempo pela manutenção dos direitos e de tudo aquilo que foi obtido”. Ainda no decorrer da entrevista, ao comentar as críticas que recebeu em diferentes episódios de sua gestão como ministro das Relações Exteriores, Amorim disparou: “A mídia brasileira é mais conservadora que a média da elite nacional”.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Propostas Ana Julia Deputada Federal 1314.


13_metas
“O Brasil mudou com o PT. Os Governos Lula e Dilma apresentaram avanços em todos os setores. O desemprego e a pobreza reduzem ano a ano. Os indicadores sociais melhoram a cada dia e o país cresce com igualdade social. Os Brasileiros ampliaram seu acesso ao crédito, à universidade, à moradia e, consequentemente, conquistam uma vida mais digna. Hoje somos um país mais forte, mais justo e mais feliz. Apesar dos avanços, sabemos que ainda há muito para trilhar em direção ao desenvolvimento que queremos.
A maior parte dos eleitores não sabe, mas o Poder Legislativo tem um papel fundamental na construção destas mudanças. Por conta disso, precisamos ter um Congresso Nacional mais comprometido com as necessidades do povo, para que Dilma possa continuar a caminhada iniciada por Lula.
Como mãe, mulher e militante sei da luta e dos desafios de Dilma, e tenho um compromisso com a presidenta: ajudar nessa missão. Serei uma pessoa de confiança de seu governo, na Câmara Federal.
Quero continuar cuidando do meu Estado. Conheço o Pará como poucos e sei onde estão os recursos em Brasília e como buscá-los. Sinto as dificuldades e os sonhos da nossa população. Junto aos movimentos sociais, setores produtivos e principalmente o povo, quero lutar por mais qualidade de vida para nós paraenses.
Ver o Povo do Pará plenamente realizado, em todas as regiões, é a principal motivação da minha decisão em ser deputada federal.
Conto com seu apoio nesta caminhada”
Ana Júlia
Um novo mantado | Novas Metas
1. Por uma Reforma Política com soberania popular para afastar a influência do poder econômico das eleições, intensificando a democracia participativa.
2. Pela Democratização dos meios de comunicação e do Plano nacional de banda larga.
3. Por uma Reforma Tributária faça justiça econômica e fiscal, com a mudança na Lei Kandir e a ampliação dos royalties do minério, pela cobrança de parte do ICMS na produção de energia. Garantindo assim mais recursos ao Pará.
4. Pela melhoria da qualidade de vida nas cidades, nos transportes públicos, pelo acesso à moradia digna e pelo saneamento básico.
5. Lutar pela implementação do Plano Nacional de Educação, garantindo uma melhoria significativa do ensino público no Brasil.
6. Pelo fortalecimento da Saúde Pública, ampliando o acesso e as fontes de financiamento do SUS.
7. Fortalecer os programas da Reforma Agrária, incentivar e agregar valor a Agricultura Familiar, ao desenvolvimento rural, e para a criação de agroindústrias.
8. Defender o uso sustentável dos recursos naturais e incentivar as energias renováveis. Implementar o marco regulatório dos resíduos sólidos.
9. Defender o fortalecimento e ampliação das políticas públicas e sociais para as mulheres.
10. Lutar para valorizar e fomentar a cultura como expressão da nossa história, lutas e identidades.
11. Atuar no congresso nacional em busca da ampliação dos recursos e das políticas públicas para todas as regiões do Pará.
12. Lutar contra todas as formas de preconceito e discriminação.
13. Lutar pela melhoria do acesso à justiça e por uma segurança pública cidadã.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Proposta Ana Julia 1314 deputada federal.

“O Brasil mudou com o PT. Os Governos Lula e Dilma apresentaram avanços em todos os setores. O desemprego e a pobreza reduzem ano a ano. Os indicadores sociais melhoram a cada dia e o país cresce com igualdade social. Os Brasileiros ampliaram seu acesso ao crédito, à universidade, à moradia e, consequentemente, conquistam uma vida mais digna. Hoje somos um país mais forte, mais justo e mais feliz. Apesar dos avanços, sabemos que ainda há muito para trilhar em direção ao desenvolvimento que queremos.
A maior parte dos eleitores não sabe, mas o Poder Legislativo tem um papel fundamental na construção destas mudanças. Por conta disso, precisamos ter um Congresso Nacional mais comprometido com as necessidades do povo, para que Dilma possa continuar a caminhada iniciada por Lula.
Como mãe, mulher e militante sei da luta e dos desafios de Dilma, e tenho um compromisso com a presidenta: ajudar nessa missão. Serei uma pessoa de confiança de seu governo, na Câmara Federal.
Quero continuar cuidando do meu Estado. Conheço o Pará como poucos e sei onde estão os recursos em Brasília e como buscá-los. Sinto as dificuldades e os sonhos da nossa população. Junto aos movimentos sociais, setores produtivos e principalmente o povo, quero lutar por mais qualidade de vida para nós paraenses.
Ver o Povo do Pará plenamente realizado, em todas as regiões, é a principal motivação da minha decisão em ser deputada federal.
Conto com seu apoio nesta caminhada”
Ana Júlia
Um novo mantado| Novas Metas
1. Por uma Reforma Política com soberania popular para afastar a influência do poder econômico das eleições, intensificando a democracia participativa.
2. Pela Democratização dos meios de comunicação e do Plano nacional de banda larga.
3. Por uma Reforma Tributária faça justiça econômica e fiscal, com a mudança na Lei Kandir e a ampliação dos royalties do minério, pela cobrança de parte do ICMS na produção de energia. Garantindo assim mais recursos ao Pará.
4. Pela melhoria da qualidade de vida nas cidades, nos transportes públicos, pelo acesso à moradia digna e pelo saneamento básico.
5. Lutar pela implementação do Plano Nacional de Educação, garantindo uma melhoria significativa do ensino público no Brasil.
6. Pelo fortalecimento da Saúde Pública, ampliando o acesso e as fontes de financiamento do SUS.
7. Fortalecer os programas da Reforma Agrária, incentivar e agregar valor a Agricultura Familiar, ao desenvolvimento rural, e para a criação de agroindústrias.
8. Defender o uso sustentável dos recursos naturais e incentivar as energias renováveis. Implementar o marco regulatório dos resíduos sólidos.
9. Defender o fortalecimento e ampliação das políticas públicas e sociais para as mulheres.
10. Lutar para valorizar e fomentar a cultura como expressão da nossa história, lutas e identidades.
11. Atuar no congresso nacional em busca da ampliação dos recursos e das políticas públicas para todas as regiões do Pará.
12. Lutar contra todas as formas de preconceito e discriminação.
13. Lutar pela melhoria do acesso à justiça e por uma segurança pública cidadã.

Videos Ana Julia e PT.

História Politica Ana Julia 1314 Deputada Federal.

O Brasil mudou com o PT. Os Governos Lula e Dilma apresentaram avanços em todos os setores. O desemprego e a pobreza reduzem ano a ano, todos os indicadores sociais melhoram a cada dia, o país cresce com igualdade social. Os Brasileiros ampliaram seu acesso ao crédito, à universidade, à moradia e, consequentemente, vem conquistando uma vida mais digna. Hoje somos um país mais forte, mais justo e mais feliz. O Brasil avançou bastante, mas sabemos que ainda há muito para trilhar em direção ao desenvolvimento que queremos.
Conheço o Pará como poucos e sei aonde estão e como buscar os recursos em Brasília, sei das dificuldades e dos sonhos da minha gente. Quero continuar cuidando do meu estado. Estou mais experiente e, junto aos movimentos sociais, os setores produtivos, e, principalmente o povo, quero lutar por mais qualidade de vida para nós Paraenses.
A maior parte dos eleitores não sabe, mas o Poder Legislativo tem um papel fundamental na construção destas mudanças, por conta disso, precisamos ter um Congresso mais comprometido com as necessidades do povo, e isso é fundamental para que Dilma possa continuar a caminhada iniciada por Lula.
Como militante, mãe e mulher sei da luta e dos desafios de Dilma, e tenho um compromisso com a presidenta em ajudar nessa missão. Serei uma pessoa de confiança, de seu governo, na Câmara Federal.
Ver um Pará plenamente realizado, em todas as regiões, é a principal motivação da minha decisão em ser deputada federal. Conto seu apoio nesta caminhada.

Uma história de luta.

Os paraenses conhecem a história de dedicação de Ana Júlia à causa pública e em defesa dos interesses da maioria da nossa gente. Arquiteta e bancária, Ana começou sua militância política na luta popular na Comunidade de Base do Jurunas (COBAJUR), no final dos anos 70. Em 1980, foi eleita a primeira presidenta do Centro Acadêmico de Arquitetura da UFPA. Servidora concursada do Banco do Brasil desde 1983, ingressou no movimento sindical, onde participou da luta por maior dignidade à categoria bancária.
A experiência de militância, levou Ana Julia à Câmara Municipal de Belém em 1992. Como vereadora da capital, foi autora do projeto que criou o Conselho Municipal da Condição Feminina. Foi eleita deputada federal em 1994. Seu mandato combateu as desigualdades regionais e se opôs ao processo de privatizações do governo FHC. Se opôs a um parecer da reforma da Previdência, que tentava restringir direitos como a licença-maternidade.
Em 1997 foi eleita vice-prefeita de Belém, onde também atuou como secretária municipal de Urbanismo. Em 2000 foi eleita novamente vereadora, quando obteve a maior votação da história de Belém. E em 2002 se tornou a primeira mulher a representar o Pará no Senado da República, com mais de um milhão de votos, votação histórica. Como senadora, Ana Júlia atuou no fortalecimento do empreendedorismo local para impulsionar o desenvolvimento regional.
Sua trajetória foi coroada em 2006, eleita a primeira mulher a governar o Estado do Pará em 2006. No comando do governo popular, Ana implantou o maior programa de inclusão digital do país, o Navegapará; tirou do papel o projeto Ação Metrópole; Licitou e iniciou a obra da nova Santa Casa; Criou os Centros Maria do Pará, de atenção à saúde da mulher; Trouxe o pólo siderúrgico de Marabá (ALPA), dentre outras ações.
De 2011 à abril de 2014, ocupou o cargo de Diretora Administrativa e Financeira da Brasilcap Capitalização S.A. subsidiária do Banco do Brasil. Agora, Ana Julia apresenta-se para mais um desafio: representar o povo do Pará no Congresso Nacional, fazendo de seu mandato um instrumento da luta por um novo modelo de desenvolvimento para Amazônia, pelo fim da discriminação de gênero, e a defesa das políticas públicas de inclusão social

terça-feira, 29 de julho de 2014

Sabatina da Presidente Dilma Rousseff.

Atitude do Santander é inadmissível, diz Dilma

 
A presidenta Dilma Rousseff classificou, nesta segunda-feira (28), como “lamentável e inadmissível” o comunicado enviado pelo Banco Santander aos clientes de alta renda com especulações que apostam no caos econômico brasileiro caso ela seja reeleita. 

A declaração foi feita durante sabatina conjunta do jornal “Folha de S.Paulo”,portal UOL,  SBT e Rádio Jovem Pan, no Palácio da Alvorada, em Brasília.

“É inadmissível para qualquer país aceitar qualquer nível de interferência de 
qualquer instituição do sistema financeiro no processo eleitoral. Vou ter uma atitude clara e prudente (em relação ao Santander)”, declarou a presidenta.
Durante a entrevista, Dilma defendeu a política econômica mantida em seu primeiro mandato e garantiu que a inflação continua controlada, sem desemprego e com valorização do salário mínimo. 
“O Brasil combateu a crise sem desempregar, arrochar salário e fazer com que a população pagasse o pato da crise. Nós minimizamos o impacto da crise”, explicou.

A presidenta voltou a criticar o pessimismo criado antes da realização da Copa do Mundo e condenou as especulações contra a economia brasileira. 
“Há um jogo de pessimismo inadmissível no Brasil. O mesmo pessimismo que ocorreu com a Copa está havendo com a economia brasileira”, afirmou a 
presidenta.

“E com a economia é mais grave, porque a economia é feita de expectativa”, declarou. 

Ela também comentou o suposto desgaste com Israel após declarações do porta-voz daquele país e afirmou que o cessar fogo na região é uma questão humanitária.

“Fomos o primeiro país do mundo a reconhecer o Estado de Israel e somos, ali na região, a favor dos dois Estados. A decisão da ONU de exigir um cessar fogo é muito bem-vinda. É uma questão humanitária”.

Petrobras - Sobre a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras, Dilma 
declarou não se sentir desgastada. “Pasadena mostra que eu sempre tive uma conduta muito decente no exercício dos meus cargos públicos”, disse. 
Ela ainda falou sobre o Tribunal de Contas da União (TCU) tê-la a isentado de responsabilidade no caso e afirmou que não possui nenhum tipo de relação com o relator do processo, ministro José Jorge.

“O relator do TCU não é ligado ao meu partido, nem fez parte da base aliada no passado. Não há como dizer que o ministro relator tem qualquer relação comigo”, explicou.

Corrupção - “Eu tenho uma vida política e pessoal e eu não tolero, não compactuo e não aceito corrupção de nenhuma espécie”, garantiu Dilma, ao ser questionada sobre casos de corrupção. 

Ela ainda listou as ações que o governo federal executou, nos últimos 12 anos, para agir no combate à corrupção no Brasil. Como exemplos, Dilma citou a Controladoria-Geral da União, o aparelhamento da Polícia Federal, a criação do Portal da Transparência e a aprovação da Lei de Acesso à informação.

“Fomos o o único governo que teve pessoas condenadas em sua gestão.Não concordo que digam que enterramos ou engavetamos processos. Tivemos situações muito difíceis, mas enfrentamos com muita força”, destacou. 

Mais Mudanças - A presidenta defendeu o aprimoramento de ações de governo como objetivo central de sua campanha à reeleição. “Não se faz mudança, porque errou. Você faz mudança porque você tem sempre que querer melhorar o que é feito”, explicou.
Ela exemplificou as melhorias em programas sociais, como a efetuada no Bolsa Família, ampliado durante sua gestão. “Nós já tínhamos uma experiência acumulada no Bolsa Família, resolvemos ampliá-lo e assim conseguimos tirar mais 22 milhões de pessoas da pobreza extrema”, explicou.